ESTUDO / ADORAÇÃO

Estudo / Adoração

Renata Bartel Garcia

Publicado em 01.06.2003



      Adorar. "Deus procura adoradores que O adorem em espírito e em verdade" (João 4:23). Mas como adorá-Lo em espírito e em verdade? Como agradar verdadeiramente o coração do Pai? Como tornar o nosso louvor em um som perfeito, um aroma suave, uma oferta agradável ao Senhor? Indagações como estas são constantes na vida daqueles que desejam agradar ao Senhor, que almejam alcançar a graça de Deus, que anseiam viver na plenitude da Sua presença.

      Adorar, no sentido mais profundo da palavra, vai muito além do que a nossa mente pode alcançar. É uma atitude de entrega, de renúncia, de amor. O mais puro amor. Como alcançar a verdadeira adoração não é uma definição que está escrita em livros, não existem regras teóricas. Não existem estudos e nem o maior conhecimento que a mente humana possa alcançar poderá levar o homem à atitude plena da adoração. O caminho para se chegar ao coração do Pai através da adoração é um só: Vida com Deus.

      Como assim? Não se pode alegrar o coração de alguém quando se faz tudo errado. Imaginemos uma situação bem prática. Um filho, por mais que se esforce, não consegue agradar a um pai quando só faz coisas que o entristece. Um filho desobediente, teimoso, rebelde, distante, murmurador, que não se contenta com nada, que só pede, mas não quer fazer nada, esse filho não consegue agradar a um pai. Da mesma forma acontece em relação ao nosso Pai celestial. Ele nos ama de forma incondicional. Mas nossa adoração não pode agradá-lo quando não estamos vivendo de acordo com a Sua verdade. A adoração não pode fundamentar-se em condições. Por exemplo: "Eu vou adorar ao Senhor porque assim eu sei que vou conseguir aquele emprego que eu quero". É claro que o Senhor se agrada em nos presentear e conceder-nos os desejos do nosso coração, mas ao adorarmos o Seu santo nome não podemos ficar presos a desejos materiais, a condições. Não podemos oferecer alguma coisa pedindo algo em troca. O Senhor é digno de receber o louvor, a honra, a glória independentemente de qualquer favor que nos faça. O maior sacrifício já foi feito por nós na cruz do calvário, quando Jesus "verdadeiramente tomou sobre si as nossas dores e as nossas enfermidades; ele foi ferido por nossas transgressões e moído por nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele e por suas pisaduras fomos sarados". (Isaías 53:4-5). Depois disso, tudo o que o Senhor fizer por nós, os nossos pedidos, Ele atende porque nos ama de forma sobrenatural e as Suas "misericórdias não têm fim, mas duram para sempre" (Lam. 3:22). Precisamos entender essa verdade. Nada do que Ele faça por nós será condição para adorá-Lo. Devemos adorá-Lo pelo que Ele é e pelo que Ele fez por nós, pelo Seu infinito amor, por Sua graça e compaixão. Esse é o verdadeiro sentido da adoração.

      A verdadeira adoração é alcançada à medida que se busca a intimidade com o Senhor. Quando O buscamos, nos humilhamos, nos prostramos e nos rendemos diante da Sua presença, quando reconhecemos o sacrifício da cruz e aceitamos essa atitude de Deus em nossas vidas. Então, estamos no princípio da adoração. Agradamos o coração de Pai quando declaramos nossa total dependência a Ele. Por isso dizer que a adoração é uma atitude de entrega e de renúncia, pois só se chega a um patamar elevado na adoração quando ocorre essa atitude. Devemos entregar tudo o que temos, tudo o que somos ao Senhor. Não podemos dizer que O adoramos quando tentamos fazer tudo de acordo com nossos princípios e vontades, nem quando trazemos toda a glória a nós mesmos pelos nossos atos e conquistas. Se fizermos qualquer coisa, se alcançarmos qualquer vitória é pelo Senhor, "porque d'Ele, por Ele e para Ele são todas as coisas; a glória, pois, a Ele eternamente. Amém" (Rm: 11:36). Portanto, devemos colocá-lo como "piloto" das nossas vidas, e todas as nossas atitudes devem ser baseadas nos seus ensinamentos e no Seu "comando de ordem". Não devemos andar preocupados, ansiosos, abatidos, mas sim esperançosos, pacientes e alegres, porque na "presença do Senhor há abundância de alegria" (Salmos 16:11). Por que renúncia? Porque quando renunciamos a bens materiais, fama, sucesso, sonhos que não são os sonhos de Deus, não apenas de palavras, mas de todo coração, então atingimos o ato de entrega e de rendição ao Senhor. Daí o fato de as duas coisas estarem ligadas.

      Um fato interessante da Bíblia que gostaria de ressaltar é a provação de Abraão. "Deus provou Abraão pedindo em holocausto o seu único filho: "E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi. Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera. Ao terceiro dia levantou Abraão os seus olhos, e viu o lugar de longe. E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o moço iremos até ali; e havendo adorado, tornaremos a vós. E tomou Abraão a lenha do holocausto, e pô-la sobre Isaque seu filho; e ele tomou o fogo e o cutelo na sua mão, e foram ambos juntos. Então falou Isaque a Abraão seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui, meu filho! E ele disse: Eis aqui o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? E disse Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim caminharam ambos juntos. E chegaram ao lugar que Deus lhe dissera, e edificou Abraão ali um altar e pôs em ordem a lenha, e amarrou a Isaque seu filho, e deitou-o sobre o altar em cima da lenha. E estendeu Abraão a sua mão, e tomou o cutelo para imolar o seu filho; Mas o anjo do Senhor lhe bradou desde os céus, e disse: Abraão, Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. Então disse: Não estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único filho. Então levantou Abraão os seus olhos e olhou; e eis um carneiro detrás dele, travado pelos seus chifres, num mato; e foi Abraão, e tomou o carneiro, e ofereceu-o em holocausto, em lugar de seu filho. "( Gênesis 22: 1-13).

      Abraão, devido à sua vida de entrega, de renúncia, chegou até aí sem murmurar, sem reclamar a Deus, sem ao menos perguntar a Deus o porquê daquilo. Mas simplesmente ouviu e obedeceu. Entregou, renunciou a si mesmo, aos seus sentimentos de pai, ao seu sonho de ter um filho com sua esposa, em amor ao Senhor. O que faríamos nós se Deus nos provasse como provou a Abraão? Será que teríamos a mesma atitude de rendição, de renúncia e de entrega? Abraão torna-se um exemplo para nós. Que atitude maravilhosa de Abraão! Ele não temeu, não duvidou, não murmurou, antes, ouviu a voz do seu "piloto", ouviu o Seu "comando de ordem" e, confiando, obedeceu. Isso é tremendo. É loucura aos olhos naturais.

      Existe uma canção, inspirada por Deus, que serve para nós como uma oração ao Senhor. Ela diz assim:

"Não quero mais viver pra mim mesmo, ajuda-me Senhor
Ensina-me os Teus pensamentos que são maiores que os meus
Os meus sonhos te dou
Os meus planos, meu querer, deixo em Teu altar
Lugar de morte, lugar de se entregar
Como um sacrifício vivo a Ti
Lugar de renúncia, lugar de confiar
Que Tua graça é melhor que a vida
Estou no Teu altar"


      Que essa seja a nossa oração, não só hoje, mas todos os dias da nossa vida. Que venhamos buscar estar sempre no altar de Deus, renunciando a nós mesmos, confiando, nos entregando e nos regozijando na presença do Pai Eterno. E que possamos, como Abraão, ouvir a voz de Deus e, em obediência, temor e amor obedecê-Lo, para que, ao sermos provados possamos ser também aprovados pelo Senhor e viver não mais nós, mas deixar que Ele viva em nós. Assim, alcançaremos o coração do nosso Amado e, como uma declaração de amor, ele ouvirá o nosso louvor e derramará sobre a Sua noiva a excelência do Espírito Santo!!!!!

      Um grande abraço a todos os adoradores de Deus e que possamos buscar juntos a perfeição no Senhor Jesus. Porque Ele merece o melhor de nós!!!!!!!!!!!!!!!!!

Renata Bartel Garcia.


VoltarEnviar páginaImprimir páginaComentar


Avenida Paraná, 76 - A - Próximo ao Calçadão - Londrina - Paraná - Brasil
Ministério Jovem Livres Em Cristo - Primeira Igreja Batista em Londrina